PROJETO BIODIESEL OSASCO
PROJETO BIODIESEL OSASCO

PROJETO BIODIESEL OSASCO

Da frigideira para os tanques dos veículos
Osasco foi buscar até na Áustria experiências bem sucedidas para transformar o óleo de cozinha usado em produção de biodiesel. Hoje, são mais de 600 postos de coleta, espalhados pela cidade, para definir qual seu potencial para recolher e produzir o combustível menos poluente.
Dar um novo destino, ambientalmente correto, para o óleo de cozinha usado. Esse é o objetivo do projeto Biodiesel Osasco, lançado pela Secretaria de Meio Ambiente de Osasco, em março de 2008.
Ao invés de despejar essas sobras das frigideiras e panelas diretamente nos ralos e vasos sanitários, contribuindo para a poluição dos recursos hídricos, a população da cidade pode entregá-las em um dos 600 postos de coleta espalhados pelo município.
Todo o produto, captado em escolas particulares e da rede municipal, restaurantes, empresas, igrejas e condomínios residenciais, é armazenado e faz parte de um estudo sobre qual o potencial de coleta do óleo na cidade para, posteriormente, dar início a um sistema de produção de biodiesel. O combustível alternativo, feito a partir de óleo vegetal (que também pode ser extraído da mamona, da soja, do algodão e do girassol) e até do sebo animal, é bem menos poluente que os derivados de petróleo .
Antes de iniciar esse projeto, a secretaria foi buscar exemplos bem sucedidos em outras localidades, incluindo uma viagem do secretário Carlos Marx, em companhia do prefeito Emidio, à Áustria, que desenvolve iniciativa semelhante.
Embora os números reais ainda estejam em estudo, o potencial de Osasco nessa área é grande. A cidade, possui, atualmente, 720 mil habitantes, em aproximadamente 160 mil moradias. Se cada um delas guardar, por mês, meio litro de óleo usado em frituras, será possível captar até 80 mil litros do produto, que permitirão a produção de 80 mil litros de biodiesel.
Além de contribuir para a preservação do meio ambiente, já que esses milhares de litros de combustível alternativo vão substituir os grandes “vilões” da poluição do ar e do aquecimento do planeta, o projeto contribuirá para a geração de trabalho e renda no processo de produção.
No dia 25/05/10, o placar de coleta do projeto marcava 70.150 de litros de óleo coletados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.