Mulheres ainda sofrem com machismo, feminicídio e desigualdade salarial
Mulheres ainda sofrem com machismo, feminicídio e desigualdade salarial

Mulheres ainda sofrem com machismo, feminicídio e desigualdade salarial

O Dia Internacional da Mulher vai muito além de uma homenagem. A data 8 de março significa a força da mulher em constante luta contra a subserviência que o homem quis e quer impor-lhe, tentando sempre privá-la de seus direitos constitucionais. As mulheres conquistaram o direito ao trabalho nas mais diversas áreas do conhecimento e várias atividades, mas ainda sofrem com o machismo, feminicídio, desigualdade salarial, preconceito e desconfiança no mercado de trabalho.

Dados do Global Gender Gap Report 2021, do Fórum Econômico Mundial, mostram que a paridade de gênero no mercado de trabalho perdeu espaço no mundo. Segundo o relatório, o tempo necessário para que a equidade seja alcançada passou de 100 para 136 anos, em decorrência dos efeitos da pandemia do covid-19.

No final de 2021, uma pesquisa de opinião, realizada pelo Instituto DataSenado em parceria com Observatório da Violência Contra a Mulher, mostrou que 86% das mulheres brasileiras perceberam um aumento da violência contra elas. O número de casos é 4% maior que em 2020. De acordo com a pesquisa, entre 14 de outubro e 5 de novembro, cerca de 68% das pessoas entrevistadas conhecem alguma vítima e 27% declararam já ter sofrido este tipo de violência.

O Partido Verde (PV 43) combate todo e qualquer tipo de violência com a mulher. O diretório de Osasco tem 50% de representatividade feminina e vem apostando em mulheres para disputar as eleições. O PV trabalha com afinco para filiar e preparar mulheres para disputar cadeiras nas esferas municipal, estadual e nacional. As mulheres são a maioria na sociedade e estão preparadas para discutir e apontar soluções aos variados problemas.

O Partido Verde estimula a participação partidária feminina e fortalece sua participação em espaços da iniciativa privada e em cargos do poder público. Nós, do Partido Verde, promovemos a liberdade e a diversidade. Rejeitamos uma sociedade onde as mulheres não são totalmente iguais e defendemos que o empoderamento das mulheres é uma pré-condição para o fortalecimento dos valores verdes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.