Dia do Rio, momento significativo para Osasco refletir sobre a importância de proteger nascentes e córregos da cidade
Dia do Rio, momento significativo para Osasco refletir sobre a importância de proteger nascentes e córregos da cidade

Dia do Rio, momento significativo para Osasco refletir sobre a importância de proteger nascentes e córregos da cidade

O Dia do Rio é comemorado nesta terça-feira, 24 de novembro

127280809_1714007065436077_7928050781644245666_n

Osasco é dividida ao meio pelo Tietê, que tem 6.000 metros de extensão, aproximadamente, na cidade, possui córregos, dentre os quais o mais conhecido é o Bussocaba (lugar onde a cobra bebe água, na língua Tupi-Guarany). Quando esteve à frente da Secretaria de Meio Ambiente (Sema), entre 2005 e 2016, o Partido Verde de Osasco implantou ações com foco na preservação dos recursos hídricos.

126378398_667104270644973_5781929326353264655_n

O projeto “Identificação e Revitalização de Minas e Nascentes”, implantado em 2007, identificou mais de 100 minas de água, revitalizando 30 delas que estavam semidestruídas. Estas, receberam tratamento paisagístico, revegetação, fontes de pedra. Com foco na educação ambiental, o projeto envolveu educadores, estudantes e comunidade.

126806523_2325945564218059_1276942506268895102_n

Em 2010, o projeto recebeu o prêmio ODM Brasil – Objetivos de Desenvolvimento do Milênio e, também, foi apresentado no II Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável – Desafios dos novos governantes locais (II EMDS). No espaço “PNUD e SGPR”, prefeitos, secretários e diretores de órgãos ambientais de várias cidades do país participaram de apresentação realizada pelo ambientalista Carlos Marx, que conduziu a Sema Osasco por 12 anos.

126484261_3655179194505555_2649692097858042721_nAo longo dos anos outros programas foram implantados pelo PV com foco no cuidado com a água, como o Projeto Biodiesel cujo objetivo era orientar a população a armazenar o óleo de cozinha usado em garrafas pet e posteriormente entregá-las a um dos 850 postos de coleta instalados na cidade.

Este material, que em grande parte era descartado nas pias e no lixo domésticos, passou a ser coletado pela prefeitura e encaminhado para transformação em biodiesel. Em troca de 50 litros de óleo usado o ponto coletor recebia água sanitária ou óleo de cozinha novo. Uma forma de evitar que esse óleo contribuísse para entupir redes de esgoto e poluir ainda mais os córregos.

Outra medida adotada para proteger os córregos de Osasco e o rio Tietê foi a rearborização de suas margens com plantios de centenas de mudas de árvores nativas.

Nos últimos quatro anos, o PV Osasco apoiou o coletivo Casaviva – cultural e ambiental, que realizou diversas ações com foco nos cuidados com a água e com um público diversificado.

Em março de 2020, antes do início da pandemia na cidade, realizou a “Exposição de Cartazes: Água, se cada um cuidar não vai faltar”, criados por alunos do 5º ano do Fundamental 1, do Colégio Anglo Leonardo da Vinci – Unidade Osasco, orientados por Irene Garcia, professora de Artes; e o projeto “Domingo Cultural” com dança contemporânea e performance poética “Áreas Úmidas: caminhos migratórios de vidas”, com a performer Rosi Cheque.

126954309_140081900822335_4751574092355637728_nPara o ano de 2021, a expectativa é que empresas da cidade e o governo municipal apoiem a Casaviva em iniciativas de conscientização pública quanto à destinação correta de resíduos sólidos, que muitas vezes são lançados nas margens dos córregos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *